Archive for the 7 perguntas capitais Category

As 7 perguntas Capitais: Picnic Vitoriano

Posted in 7 perguntas capitais with tags , , , , , , on 03/06/2010 by Nana en Lingerie

Pela primeira vez nas sete perguntas capitais, teremos várias mulheres entrevistadas de uma só vez. são as organizadoras do Picnic Vitoriano Anual de Curitiba. Trata-se de uma confraternização onde a primeira regra é vestir, não só as roupas, como o próprio espírito vitoriano.

1. Como surgiu a ideia do picnic? Como fizeram para atrair tanta gente e garantir que todos literalmente vestissem a camisa?

Somos um grupo de admiradoras de espartilhos e nossas primeiras reuniões eram conhecidas como “Encontros de Corsets”. Não satisfeitas com esses pequenos encontros, resolvemos trabalhar na realização de um evento de maior porte, e assim nasceu o 1º Picnic Vitoriano & Século XVIII, inspirado no trabalho da Viona Ielegems na Europa. Não esperávamos receber cerca de 50 pessoas a rigor, fizemos uma boa divulgação entre a rede de amigos e insistimos bastante na regra inicial que era que todos fossem, à medida do possível, vestidos e/ou inspirados em trajes de época.

2. Os figurinos dos convidados são impressionantes! Queremos dicas: de onde saíram esses espartilhos?????

Grande parte deles foram confeccionados pelas costureiras Giovana e Ilça, que também participaram do evento.

3. E por baixo de tanto pano, você também adotaram a lingerie da época?

Algumas adotaram o uso de calçolas, bloomers, anáguas e crinolinas, que assim como o corset, em grande parte desses trajes são essenciais para dar forma à silhueta dessa época.

4. Que peças Vitorianas são fetiche na opinião de vocês?

O corset com certeza é a peça de maior valor erótico. Mas bloomers e garters também completam perfeitamente.

5. Aliás, na Era Vitoriana as mulheres usavam inúmeras peças íntimas, e segundo alguns, o próprio ato de despir-se já era afrodisíaco suficiente. Os homens de hoje, quando vêem vocês vestidas alla Vitoriana, também se sentem atraídos?

Só o fato de quebrar a rotina de vestimenta diária já um ponto forte a favor de estimular a atração, além do fato de usar essas peças valorizam as curvas femininas que os homens tanto cultuam e depois é como uma dança dos sete véus para tirar todas essas peças.

6. A sexualidade na Era Vitoriana era bastante ambígua. Por um lado, as mulheres mal podiam mostrar as pernas, até pianos eram cobertos por saiotes para não atentar ao pudor. Por outro lado tanto na literatura quanto na arte há muitas alusões eróticas. O que vocês têm a dizer a respeito?

Pelo fato de não mostrar o corpo da mulher, mas insinuar com decotes e curvas e adornos era algo inspirador, instigante, mexia com a imaginação de escritores e poetas. Ao contrário de hoje que todos já viram tudo, não há muito que imaginar e fantasiar. E também a questão de “pudor” estava mais nas aparências que a elite demonstrava, pois traições, bigamia, etc eram comuns. Quanto mais poder o homem tinha mais ele faria o que quisesse.

7. Tem alguma peça do vestuário vitoriano que pode ser usada em um ‘look’ contemporâneo?

A moda virou uma reciclagem há umas boas estações, então, atualmente é possível adaptar muitas e muitas peças de modas passadas para a atual, isso depende muito do estilo e da criatividade da pessoa que vai vestir.

Para quem quiser mais detalhes:

COMUNIDADE NO ORKUT: www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=99689931
MYSPACE: www.myspace.com/picnicvitorianocwb
FACEBOOK: www.facebook.com/profile.php?id=100001040206699&ref=profile
TWITTER: https://twitter.com/picnicvitoriano
MSN GROUP: picnicvitorianocwb@groups.live.com – http://picnicvitorianocwb.groups.live.com

As 7 perguntas Capitais: Entrevista com a tatuadora Akemi Araújo

Posted in 7 perguntas capitais with tags , , , , , on 09/04/2010 by Nana en Lingerie

Meninas, modéstia à parte, as 7 perguntas capitais estão cada vez melhores. Hoje, nossa convidada é a tattoo-artist Akemi, única artista mulher do Led’s, um dos estúdios mais top de tatuagens e piercing de Sampa. E que mulher! Gata, moderna e super talentosa, Akemi se dispôs a dividir conosco a sua visão sobre lingerie, sedução e, claro, tatoos.

1. A indústria de body art é essencialmente masculina. Rola muito preconceito? Como você lida com isso?

Rola preconceito sim e acho inclusive que o meio da tattoo é extremamente machista. Acho que as mulheres chegaram depois dos homens nessa área e os homens se sentiram meio intimidados com isso. Pra mulher lidar com esse tipo de problema, só tendo muita atitude, cabeça feita e confiança no seu trabalho. Eu  trabalho com vários homens e sou respeitada. Me olham de igual pra igual hoje em dia, mas até eu conseguir esse espaço não foi fácil,  aprendi a absorver coisas boas disso. Aprender a lidar com eles, entender a cabeça e isso inclusive ajuda no relacionamento.

2. Você tem várias tatuagens espalhadas pelo corpo, isso faz diferença na hora de escolher a lingerie?

Faz diferença sim, pois eu sempre escolho lingeries básicas ou rendadas, sem estampa e no máximo com duas cores pra não ficar com um visual “poluído”. Adoro lingerie preta.

3. Na sua opinião, tatuagem e lingerie têm algo em comum? É o corpo da mulher que valoriza a tattoo e a lingerie, ou são tattoo e lingerie que devem valorizar a mulher?

Eu acho que os dois são adornos do corpo e os dois são poderosas armas de sedução sendo bem usados. Mas também não adianta colocar uma tattoo e uma lingerie maravilhosa num corpo horrível. Acho que os dois tem que ser bonitos em conjunto, ai sim fica incrível. Eu acho que a mulherada tem que ter bom senso neh.

4. Você já deve ter feito algumas, se não muitas, pin-ups. Que tipo de lingerie os clientes escolhem para imprimir na pele?

Todo tipo pin ups. Inclusive eu tatuo direto, cinta-ligas e corseletes em meninas. Acho lindo e sexy esse tipo de tattoo! A cantora pitty tem uma linda na coxa.

5. Mulheres com muitas tatuagens são vistas de forma diferente pelos homens? Isso é bom?

Acho que tem de tudo. No meu caso eu não sinto muito isso, pelo fato de ser tatuada há anos. Sinto que a maioria dos homens, mesmo que não gostem de tattoos, tem fetiche por mulheres muito tatuadas. Já levei muita cantada de empresários e homens que não tinham a ver com meu meio.

6. Que lingerie você nunca usaria e por quê?

Eu não gosto de dizer que nunca farei mas… Fantasias tipo mamãe noel e coelhinha. Tem uma sex shop do lado do meu trabalho, e as vezes passo na frente com meus amigos. A galera sempre dá risada e zoa. Acho que homem gosta da mulher sensual e linda, sem cair no ridículo.

7. Se uma marca de lingerie fetiche, tipo couro-látex, quisesse usar a sua imagem em uma campanha dominatrix, o que você diria? Até onde iria com as fotos?

Eu faria numa boa, adoro fotografar, já fiz campanha publicitária e eu sempre incorporo o personagem. É fantástico isso. Adoraria interpretar uma dominatrix e não iria além disso não. Eu sou mais gueixa do que dominadora. Encararia isso como um trabalho apenas.

Gostaram da entrevista? Nas bancas tem mais, Akemi está na Maxim do mês de abril. Parabéns gata, você merece!

As 7 perguntas Capitais: Entrevista com Srta Encalhada

Posted in 7 perguntas capitais with tags , , , , , , , , , , , on 03/04/2010 by Nana en Lingerie

 Há quem pense em lingerie sob a ótica do pecado. Ora, se pecado há, nada mais lógico que pedir perdão e confessar. Para tanto, acabo de criar uma nova categoria para o blog: As 7 perguntas capitais. A internet é anônima, mas será que é o suficiente para descobrirmos segredos só de lingerie?

Nossa primeira entrevista é com a ilustre Srta Encalhada, blogueira, carioca, solteira e poderosa. 

1. Segundo seu perfil, foi depois de levar um fora que você assumiu a solteirice, montou seu blog e vêem postando textos sobre como sobreviver e se divertir sozinha. Você é o retrato da mulher moderna?  

Bom, acho que sou o retrato da mulher moderna no que diz respeito a não condicionar a felicidade e o bem-estar em ter ou não um bofe. Dou dicas sim de como sobreviver e se divertir, mas não totalmente sozinha. Algo que a mulher em geral tem que perceber é que, é preciso primeiro ser feliz consigo mesma para poder ser feliz com outra pessoa, aí vem a tática de aprender a ser feliz sozinha. A mulher pode até ter ficado moderna, mas muitas têm aquela mentalidade antiga de que tem que agradar um homem para terem qualidades.

 

2. Tudo bem, você como eu, está protegida por um pseudônimo, mas quando o assunto é lingerie, antes de perguntar que tipo de conjunto fica melhor em você, precisamos saber um pouco mais sobre seu tipo físico.

 

 Me identifico com o formato pêra (mulher pêra, que maaaraaa!!!). Sempre acabo tendo alguns probleminhas na hora de comprar lingerie, pois tenho o busto pequeno e meus quadris e bumbum (pode falar bumbum né? rsrsrsrs) tem um tamanho respeitável (nessa a genética da Mamãe ahazou!). Prezo muito pelo conforto, sem claro, esquecer da beleza da peça, gosto muito daquelas calcinhas divertidas que tem mensagens engraçadas e que tem um formato tipo como um shortinho e que são confortáveis, também uso aquelas menores mas que tem tiras largas nas laterais para não marcar dos lados (corta a corrente né colega?). Já no quesito sutiã não gosto de enchimentos e sim daqueles que me dão sustentação e modelam o formato do busto, não gosto de propaganda enganosa e no meu caso a propaganda seria ENCAnosa!

Adooooro rendinhas e pedrarias nas peças quando é para estar vestida para matar as minhas escolhas sempre tendem para as peças mais românticas e em tons mimosinhos (que fofo!!!)

 

3. Que conselho você daria para quem quer desencalhar de vez e está pretendendo ficar pela primeira vez só de lingerie com um gatinho?

Primeiramente, ficar de lingerie na frente do bofe não pode ser o mecanismo de desencalhamento, se é para desencalhar tem que ser em conjunto com outras qualidades, para mim o momento lingerie-bofe, completa algo que engloba personalidade, afinidade e sentimento entre as duas pessoas. Mas para ahazar com o bofe e não fazer feio, acho que a lingerie tem que combinar com a mulher, tem que traduzir algo que ela sinta, tem que encaixar, por exemplo, não é legal uma menina mais meiga e até inexperiente colocar uma lingerie tipo sex and the city, vermelho, cinta liga, e o bafafá todo, tem que ser algo que mostre a mulher que está vestindo a peça, tem que expressar a sensualidade única daquela mulher que está ali.

 

4. Qual sua marca de lingerie preferida e o que ela tem de especial?

Como sempre eu tinha que fazer diferença. Eu não uso uma marca específica uso marcas diversas. Compro minhas lingeries com uma moça que vende várias marcas, aí eu posso comprar o sutiã de um tamanho e a calcinha de outro. As peças que ela me vende são incríveis, confortáveis e ao mesmo tempo maravilhosérrimas (inventei essa palavra). É realmente algo difícil de conseguir, mas nunca me senti desconfortável usando uma peça que ela tenha me vendido e nunca me senti menos sexy pois as peças tem uma costura leve que não marca a pele e não aparecem por baixo da roupa, tem de todos os tipos, com rendas, aplicações, pedrarias, são MAAARAAA!!!!

 

5. É notória a rixa entre paulistas e cariocas, umas dizem ser mais elegantes, outras dizem ficar mais bonitas de biquíni. Pra você que é carioca, tem algum tipo de lingerie que é mais a cara do Rio???

 Bom, apesar de não ser muito fã (como disse, prezo pelo conforto) a lingerie símbolo do Rio é, sem dúvida, o fio-dental, que é a mesma temática do biquíni, para se ter uma noção, as meninas que estudam na zona sul, já vão para a escola com o biquíni por baixo do uniforme, é só dar a hora da saída e Tibum na praia!

As meninas do funk também usam muito o fio-dental, poucas, como eu são diferentes, mas fazer o que, ia ter graça se todas fossem iguais?

É, a rixa existe, mas acho que esse negócio de que carioca fica melhor com tal peça de roupa do que paulista é balela, assim como tem mulheres muito bonitas no Rio também tem mulheres lindas e Sampa, no final das contas todas somos brasileiras e ahazamos com uma roupa curta, está no nosso sangue.

 

6. Mas afinal de contas você usa  fio dental ou não usa? é confortável?  

Repito: fio dental (para mim) não é confortável! Mas é claaaro que na hora do “só Love” (nada a ver com o Vagner do Flamengo hein!!!) quem precisa de conforto né? Vai sair do lugar mesmo! Uso em ocasiões “espechials”, mas não no dia-dia, para mim conforto é tudo, se não vão ver que seja confortável, mas se é para ser vista e ainda por cima ser tirada (hahaah baixou a piriguete hahahaha) que se dane o tal do conforto, por mais fofa que a calcinha seja, ninguém ganha do fio-dental!

 

7. E pra terminar com chave de ouro, qual o seu maior fetiche em matéria de lingerie?

Lingerie com meia e cinta liga, aquela coisa bem “inocente” (até parece), acho muito bonitas aquelas com rendas e bem mimosinhas. Não sei por que mais sempre fui meio Lolita (ohhhhhhh).