Arquivo para burlesque

CATFIGHT: Dita Von Teese vs Bettie Page

Posted in Catfight with tags , , , , , , , , , on 01/06/2010 by Nana en Lingerie

Quando criei a categoria catfight no blog, achei que seria difícil escrever um post onde eu realmente fosse expressar uma opinião categórica. Ingenuidade minha.

Bettie Page apareceu no cenário americano há décadas. Nascida no Tenessee, Bettie começou a carreira de modelo totalmente por acaso. Aos 27 anos, quando ainda datilografista, estabeleceu amizade com um fotógrafo amador. Daí pra frente, passou a posar para vários artistas. Aparecia de biquíni, de lingerie, nua, e até mesmo interpretando cenas de sadomasoquismo.

Com formas voluptuosas, franja rock-and-roll, e sorriso malicioso, Bettie tornou-se uma das pin-ups mais importantes dos anos 50. Fez fotos sofisticadas, filmes eróticos e atuou como parte importante do imaginário popular que levou à revolução sexual da década de 60. Embora nem todos se lembrem dela, Bettie foi e continua sendo um ícone pop, influência fundamental para muitas celebridades atuais como, por exemplo, a cantora Katie Perry, ou a dançarina Dita Von Teese.

Perdi as contas do número de vezes em que me pediram para escrever sobre a Dita. Desde o dia em que criei esse blog, quero escrever sobre ela. Mas não podia ser qualquer post. Afinal de contas, nos dias de hoje, poucas conseguem incorporar melhor fetiche e sedução só de lingerie como Dita Von Teese.

Dita é hoje a maior estrela burlesque existente. Para quem não sabe, o burlesque nasceu nos Estados Unidos, baseado em espetáculos franceses de cabaret, na arte do strip-tease antigo, na estética holywoodiana dos anos 30, 40 e 50, com tempero classic rock-and-roll. Dentro do burlesque, a Dita fez nome. Criou um espaço próprio com performances que são marcas registradas, como o número do Martini, onde aparece inteiramente vestida, tira  a roupa devagarinho para depois mergulhar em uma taça gigante onde usa uma azeitona cheia d’água para tomar banho.

Não é segredo nenhum que a Dita viu, gostou e certamente estudou a vida da Bettie Page. Era loira e tingiu-se de morena. Assim como Bettie, também cuida do seu próprio make e acompanha de perto a criação de seus figurinos. Mas Dita não é uma cópia. Ela é única. E como disse no princípio, neste catfight, tomo posição clara. Empate técnico. Tanto Bettie como Dita são, para mim, mulheres admiráveis. Não acham?

Lingerie Punk, fina e pontiaguda

Posted in Papo Calcinha, Uncategorized with tags , , , , , , on 19/03/2010 by Nana en Lingerie

Quem gosta da night de São Paulo não pode deixar de conhecer o Bar Secreto (Pinheiros); tão secreto que não se pode fotografar. O lugar, além de ser muito bem decorado; com uma mistura de pinturas antigas, candelabros, e outros detalhes mais pop como bolas espelhadas de discoteca; têm uma programação super eclética, incluindo desde noites de “Love Songs” e “Disco” até gritos de carnaval e shows do Massacration. Enfim, é um dos QGs da galerinha hype de Sampa.

Estava lá outro dia, bebericando um delicioso Apple Martini, quando vejo uma garota usando um corset preto, meia arrastão e um short curtíssimo. É claro que não se tratava de uma lingerie toda rendada, porque algo assim, no Secreto, seria visto como over, brega, too much. Ao contrário, ela fez uma produção que puxava um pouco para o burlesque e outro pouco para o punk.

Algumas mulheres, as mais românticas, pensam em lingerie como uma forma de realçar sua feminilidade, e talvez achem que lingerie punk se resume a peças de látex baratas expostas em vitrines de sex shop. Se esse é o seu caso, vou provar que é possível ser punk só de lingerie, sem pecar pelo mau gosto.

Veja a marca inglesa Agent Provocateur, criada pelo filho da estilista inglesa Vivienne Westwood, mãe do punk fashion style inglês. É, provavelmente, o label de lingerie fina mais transgressor do momento. Quando Kate Moss ainda era a garota propaganda da marca, a imagem e lifestyle da top ajudaram a criar campanhas emblemáticas.

Hoje, o contrato de Kate já terminou, mas a Agent Provocateur continua a surpreender com pelo menos uma ou duas novidades “dark” por coleção. É o caso do famoso Corset Heloise que não é só punk, é quase uma arma branca , com preçinho de matar: 4.900 $!!!