Arquivo para marca

That’s seventies show – lingerie retrô

Posted in Papo Calcinha with tags , , , , , , , on 11/08/2010 by Nana en Lingerie

Dizem que para cada lugar há um dress-code apropriado. Se é verdade, não sei; mas, bastou colocar um pé no Hot-Hot para associar a casa noturna com as coleções retrô da PUKET.

Explico:

O Hot-Hot foi inaugurado há cerca de um ano. Como toda casa descolada de Sampa, convida DJs da moda para produzirem sets únicos, mixando disco, eletrônica, house, pop, etc… O público é seleto: mauricinhos e moderninhos bem arrumados, mulheres produzidas e bonitas, um pequeno grupo gls que não falta nunca nos lugares badaladinhos da cidade. Até aí, nada de muito inovador, certo?

Errado. A graça do Hot-Hot está na ambientação. Quem diria possível reproduzir uma estampa disco-fever em todo o andar superior sem torná-lo brega?

Não há dúvidas que a decoração busca inspiração nos dancing days da década de 70. Mas nem por isso o Hot ficou com cara de flashback empoeirado. Ao contrário, literalmente viraram a tendência pelo avesso, colocando o famoso piso do John Travolta nas alturas. Efeito final: um teto luminoso que permite mudanças de clima no dance-floor em real-time.

John Travolta em Saturday Night Fever (ou Embalos de Sábado à Noite)

Pista do Hot-Hot

Claro que para freqüentar o lugar, montar um look com a cara da casa ajuda. E, hoje, até onde sei, a PUKET é a única marca de lingerie que tenha resgatado, recentemente, prints geométricas e elementos Flower Power inspirados na década de 70.

Em matéria de qualidade, não há do que reclamar. A lycra é ótima, dificilmente esgarça. O acabamento é bem cuidado, costuras em lugares estratégicos que quase não puxam fios. A marca valoriza conforto, praticidade – oferecendo cortes e modelos variados para cada linha – e descontração – desenvolvendo estampas divertidas. Os preços variam de 20,00 a 40,00 reais para calcinhas e de 60,00 a 70,00 para sutiãs (se bem que, em tempos de liquidação, é possível encontrar as mesmas peças com descontos de até 50%!).

Mas, com tudo isso, por que será que as coleções FASHION PUKET RETRÔ e DIVERTIDA RETRÔ POP não fizeram a minha cabeça? Acho que o problema foi na hora de repaginar a tendência seventies.

A década de 70 foi uma década cheia de exageros e contrastes. Tempo de estampas ultra-coloridas; de brilhos e lantejoulas; de sobreposições e transparências; de calças boca-de-sino e maxi-acessórios; de influências folk, hippie, disco, punk; e por aí vai…  Em resumo, uma década onde criadores e estilistas ousavam.

Ora, onde é que a PUCKET ousou? O tecido é o mesmo de suas outras linhas. A estampa é clássica, mal foi modernizada. Onde está o espírito da década de 70? Este que misturava ingredientes improváveis e excessivos para chegar a um resultado final psicodélico, inesperado e genial? Por enquanto, só no Hot-Hot.

Lingerie HI-LO

Posted in Resenhas with tags , , , , , , , , , on 04/08/2010 by Nana en Lingerie

Pra quem nunca ouviu falar sobre moda hi-lo, trata-se da tendência fashion mais democrática dos últimos tempos. Quem segue a nova onda, mistura peças de HIGH FASHION (design de última moda, criações assinadas por estilistas famosos, etiquetadas por marcas de luxo…) com peças LOW (sem nome, vintage, ou saídas de lojas de departamento como Zara ou C&A).

Em teoria, a idéia é incrível. Parte do principio de que estar bem vestida não requer logos em todo lugar. Mas, às vezes, o tiro sai pela culatra. Várias celebs nacionais e internacionais adotaram a tendência e informam jornalistas a torto e a direito sobre o novo look que acabam de montar: “jeans barato e incrível par de sapatos Louboutin”, “vestidinho vintage e bolsa couro de avestruz da Louis Vuitton”, “shorts usado e blusinha última coleção da Channel”. Só uma nova forma de aparecer na Caras.

Também não acredito que a tendência diminua o mercado das marcas de luxo. Quando uma estrela comunica sobre o look que está usado, pode dizer que combinou Louboutin com Vuitton e Chanel. Desta forma, faz propaganda para três marcas. Agora, quando a mesma estrela diz que não lembra aonde conseguiu o jeans deslavado, mas que seus sapatos são Louboutin, está destacando uma marca única. Sua mensagem fica mais simples, mais direta e mais intensa.

No mundo das lingeries, é sempre mais difícil realçar um produto. Quem é que, num tapete vermelho, nomeia a marca do sutiã? Claro que a tendência de “lingerie as outerwear”, fez com que algumas celebridades comentem sobre suas marcas favoritas. Também já encontramos marcas, como a Calvin Klein ou Forum, que enchem seus conjuntos de logos. Mas é raro.

No que me diz respeito, em matéria de lingerie, é o gosto pessoal que deve sobressair. Nada de regras e tendências fashion ditando o que pode ou não pode, o must have da estação ou aquilo que deve ser guardado no fundo do armário. Quando tratamos de lingerie, só você pode saber se um conselho xis faz sentido. Se não fizer, ignore por completo.

Por exemplo, eu não uso apenas conjuntinhos pareados. Não é raro encontrar uma peça única que me encante. Ainda que não ache a calcinha ou o sutiã para formar o conjunto, compro. E foi justamente isso que fiz esse final-de-semana.

Achei um sutiã La Perla com um desconto imperdível, de 750,00 reais por 225,00 reais. Um sutiã La Perla por 225,00 reais??????? Aonde já se viu? E com caimento perfeito????? Só faltava a calcinha no tamanho certo. Era pedir demais. Comprei só o sutiã. Quando cheguei em casa, abri as minhas gavetas (sim, agora já são duas!) e, TCHAN-TCHAN, montei um look hi-lo! A calcinha saiu da Loungerie por 20,00 reais; o conjunto, no total, ficou por 255,00 reais. Mas sinto como se estivesse vestindo um milhão de dólares.

Nesse caso, dou meu braço a torcer: VIVA A MODA HI-LO!